sunt-infinita
Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem. Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela. Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto “caçador” e fazem qualquer homem sofrer. Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável. Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples. Um dia percebemos que o comum não nos atrai. Um dia saberemos que ser classificado como “bonzinho” não é bom. Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você. Um dia saberemos a importância da frase: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.” Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso. Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais. Enfim, um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito. O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras. Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.
Autor Desconhecido. (via o-teimoso)
autorias
Desacreditar nas pessoas não é uma opção, é apenas uma defesa que se ativa sozinha. É um alarmezinho que soa alto quando alguém te olha nos olhos louco pra olhar pra outro lugar. É aquela certeza de que algo está errado e que depois, você irá sentir algo cutucar o seu coração com a unha. Vai doer, sangrar e automaticamente você irá chorar. Mentiras e mais mentiras virão, e aí, ele ativa, do nada, ou exatamente na hora certa.
Eternismo  (via autorias)